sexta-feira, 21 de março de 2014

Tão bom

Tem sido tão bom estar de volta! De volta aos que amo, do lado que sem sou feliz. Tenho andando feira louca de um lado para o outro, tentado aproveitar cada minuto para estar com quem me fez falta.
Em princípio volto dia 30 ( começo a acreditar que não) vou de coração cheio e com força para mais 3 meses.
Penso que estes meses vão me custar menos! Sentir que voltei e está tudo na mesma, as minhas pessoas continuam cá, é um alívio muito grande.

Ainda não manifestei aqui o meu orgulho por ti M.O
 Muitos parabéns por esta conquista, tenho a certeza que és e serás uma grande advogada ! E fiquei muito feliz de ter estado ao teu lado nesse momento tão importante!

 M.R.

terça-feira, 11 de março de 2014

Realizações

Hoje realizei-me profissionalmente... último exame da ordem dos advogados feito e passado... ou seja sou oficialmente ADVOGADAAAAAAAAAAAAAA

Não podia estar mais feliz por esta minha conquista... culminar de um longo percurso...

Confesso que hoje (acho que pela primeira vez em muito tempo) apeteceu-me ligar ao meu ex namorado e contar-lhe esta novidade... sinto que também ele contribuiu para esta minha conquista... Dos 9 anos que medeiam entre a escolha do curso e a finalização do estágio, 7 foram passados com ele... Sinto que também ele faz parte deste percurso... Também lhe devo a ele a estabilidade que me proporcionou durante todo o tempo que estivemos juntos...

É engraçado como com a distância, que só o tempo nos traz, consigo aperceber-me disso e admiti-lo... Mas é realmente verdade... será uma pessoa incontornável na minha vida.. alguém que me ficará para sempre, que marcou num determinado período da minha vida... E sim hoje senti vontade de partilhar com ele esta minha alegria... Acho que ele também ficaria feliz... julgo eu...

Voltando ao Como Assim, estou de pedra e cal a marcar a minha posição... Acabou-se qualquer tipo de confiança... Há dias que me custam mais que outros, dias que tou mais para ai virada que outros... Hoje estava implacável confesso... Acho que nem para a cara dele olhei e adoro ver como isso o incomoda lol

Toda a gente chegou hoje ao café e me deu os parabéns (normal!), ele chegou, cumprimentou-me e nada... nem parabéns nem coisa nenhuma ZEROOOOOO

Passado uns minutos... Pimba comentário no face a dar-me os  parabéns LOL a sério não acho normal! O medo que este gajo tem de me enfrentar chega a ser cómico... Sei que nã


o sou sempre uma pessoa fácil, tenho o dom da palavra e por isso se quisesse retraçava-o em dois minutos e ele sabe, mas não o faço gratuitamente (pelo menos não sempre lol)

Enfim, sei que a minha postura o irrita e que ele não sabe bem como lidar comigo... Temos pena!
Tudo podia ser diferente... ou não... nunca saberemos...

Hoje uma amiga minha (que teve com o Como Assim no meu aniversário e apreciou toda a nossa relação) disse-me do nada: "Olha lá aquele teu amigo... Ele gosta de ti"
Confesso que dei a gargalhada da vida e mostrei-lhe o quanto ela tava enganada...
Não se deixou vencer (é advogada também) e acrescentou que não eram os ciúmes ou o ter-me dado flores no meu aniversário, "é a forma como ele olhava para ti! Tu não vês?"  
Disse-lhe que tava a viajar na mayonese... E acho mesmo que tava...

Na realidade sei que tem carinho por mim, que não lhe sou indiferente mas acho mesmo que não é mais que isso... No fundo também é o que sinto por ele, carinho, atracção, só que não consigo colocar esses sentimentos num compartimento estanque onde não se misture tudo e que para mim é mais que suficiente para não ter vontade de estar com mais ninguém além daquela pessoa...
É isso que nos distingue homem e mulher...
M.O.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Do lado de cá...

Nem sei descrever o que sinto por finalmente, após três meses e meio sem te ver, de por a vista em cima em menos de 24 horas...

Senti tanto a tua falta M.R., mas tantooooo... Falta do teu abraço, de beber café contigo, de ir ao sushi contigo...

Por incrível que pareça a milhares de km de distância continuas-te sempre e sem excepção a ser o meu maior ombro, aquele que me levantou quando caí, aquele me empurrou para o rumo certo, aquele que me mostrou a verdade, aquele que me deu na cabeça, aquele que me apoiou sempre e que esteve sempre a meu lado...

Continuas-te tão presente na minha vida como se continuasses aqui mesmo ao lado...

Vai fazer um ano que voltas-te a entrar na minha vida e a real sensação que tenho é que de facto nunca sais-te... A empatia, a amizade, a cumplicidade, o à vontade é tão grande como o era quando tínhamos 14 anos...

Nunca te disse o quanto chorei quando soube que te ias embora (na altura havia a hipótese de ser 1 ano) uma sensação de impotência, egoísmo de pensar que agora que tínhamos recuperado, o que no fundo nunca se perdeu, a nossa amizade e tu ias-te embora, senti-me injustiçada... Obviamente que te apoiei mesmo que no fundo, cá dentro do meu coração não querer que te fosses embora, não queria mesmo... Houve momentos que desejei que tal não acontecesse (shame on me)... Mas aconteceu...

Doeu-me ver-te partir... Ver o estado em que tavas... Posso dizer que foi dos momentos mais difíceis da minha vida acredita...

Amanhã estarás entre nós, da tua familia, amigos, de quem te ama e te faz feliz <3 nbsp="" p="">
Tou a rebentar de saudades tuas, mega orgulhosa desta tua aventura e da mulher e profissional que és, e doida para te dar um mega abraço ;)

Espero que leias isto já em solo português...

Á tua espera... do lado de cá...

M.O.







quarta-feira, 5 de março de 2014

Deficiência ou simplesmente loucura?

Ok acho mesmo que algo de errado se passa comigo...

Depois daquela factidica discussão com o Como Assim e depois de lhe ter enviado aquela mensagem que (espero que tenha entendido) quis finalizar finalmente a minha história com ele pois nada disto fazia sentido, nunca mais falámos, nem sequer nos vimos...

As únicas coisas que vou sabendo dele é pelo facebook...

Entretanto há um rapaz de conheci no meu dia de anos (estava num jantar no mesmo restaurante e tínhamos andado na faculdade juntos) anda-me a mandar umas mensagens e tal, com alguma classe mas a atirar-se de joelhinhos claro...

Nesta altura o que era suposto acontecer?

Estou afastada do Como Assim (eu própria quis afastá-lo) e tenho um rapaz que me parece interessante a mandar-me msg e afins... Digam-me o que é suposto acontecer? Exactamente... Eu cagar pro Como Assim e embarcar numa nova aventura...

E o que é que acontece? Pareço uma anormal a falar com o gajo, respondo-lhe e tal mas tudo respostas completamente evasivas, sem conteúdo, e só falta dizer: Get off!
A sério que não sou normal!!! Como é possível eu estar a cagar na alma de um gajo interessante e estar mais preocupada em vasculhar o facebook do Como Assim, dar por mim a pensar se ele está bem, o que tem feito, ter vontade de falar com ele, receber uma msg do outro e pensar que só queria que fosse dele!
Como é possível????????????

Ontem quando fui dormir dei por mim a pensar nisto... Como posso ser tão burra!!!! Como posso ser tão irracional!!! Mas que estúpido coração é este que se agarra a merdas destas!! Como é que isto está a acontecer!! É inacreditável o meu poder de ser uma perfeita idiota!

Tou mais fechada que uma concha, sinto realmente isso... Por um lado tudo o que quero é esquecer o Como Assim por outro não deixo ninguém entrar e ocupar o seu lugar, não deixo sequer que ninguém belisque o que sinto por ele...

Sinto-me mesmo uma idiota
M.O.



quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Cada um tem o que merece...

"Este texto é um bom exemplo de que cada um tem aquilo que merece.
Querida,
Escrevo para dizer que te vou deixar. Fui bom marido durante 7 anos. Mas as duas últimas semanas foram um inferno… O teu chefe chamou-me para dizer que tu te tinhas despedido e isso foi a gota de água…
Na semana passada, nem notaste que eu nem sequer vi futebol… Levei-te à churrasqueira que tu mais gostas…
No outro dia chegaste a casa, nem comeste e foste dormir depois da novela… Não dizes que me amas… Nunca mais fizemos amor… Portanto, ou estás a enganar-me ou não me amas mais.
PS: Se quiseres encontrar-me, desiste…
Eu e a Júlia, aquela tua melhor amiga do ginásio, vamos viajar para o norte e vamos casar-nos!
Ass: O teu ex-marido.
Resposta da ex-mulher:
Querido ex-marido,
Nada me fez mais feliz do que ler a tua carta. É verdade, ficamos casados durante 7 anos, mas dizer que tu foste um bom marido é exagero. Vejo a novela para não te ouvir resmungar a toda a hora. Reparei que não viste futebol, mas de certeza que foi porque o teu clube tinha perdido e tu estavas de mau humor. A churrasqueira deve ser a preferida da amiga Júlia, pois não como carne há dois anos. Fui dormir porque vi que a tua camisa estava manchada de batom. (Rezei para que a empregada não visse).
Mas, mesmo com tudo isto, ainda te amava e senti que podíamos resolver os nossos problemas. Por isso, quando descobri que eu tinha ganho a lotaria, deixei o meu emprego, e de surpresa comprei dois bilhetes de avião para o Taiti, mas quando cheguei a casa tu já tinhas ido embora…
Fazer o quê? Tudo acontece por alguma razão. Espero que tu tenhas a vida que sempre sonhaste. O meu advogado disse-me que devido à carta que tu me escreveste, não terás direito a nada. Portanto, cuida-te!
PS: Não sei se te disse, mas a Júlia, a minha ‘melhor amiga’, está grávida do Jorge, o nosso personal trainer lá do ginásio. Espero que isso não seja um problema…
Ass: A tua ex-esposa, milionária, linda e solteira."

Não pude deixar de soltar uma gargalhada... LOL Nada mas mesmo nada acontece por acaso... pensem nisso ;)
M.O. 

METADES E VONTADES (Cronica publicada na Flash)

"Não acredito em relações perfeitas, nem na teoria da cara-metade. Acredito que, que longo da vida, podem existir uma ou mais, tal como nunca existe só uma crença ou religião. A realidade é multíplice, imperfeita e incompleta. Ao longo da vida podemos ter várias metades. A realidade é evolutiva e o passado é um lugar estranho onde ninguém mora e o futuro é como uma nuvem, impossível de agarrar, ainda que por vezes possível de prever. Talvez seja isto que o poeta grego Kavafis quis dizer quando escreveu não se entra duas vezes na mesma nuvem. Durante muito tempo pensei que se referia à desilusão no amor, como um espelho que se parte, mas talvez o significado seja mais existencial.
As metades dependem das vontades. Quando nos apaixonamos e começamos a viver uma história de amor correspondida, é tudo muito fácil. Durante seis meses a um ano, tudo parece fácil, certo e leve. Vivemos numa espécie de nuvem de descoberta e de ideal. Mas uma relação demora, em média, três anos a solidificar-se, a criar raízes profundas e a crescer. Se crescer depressa demais, pode estiolar, como acontece às plantas apressadas. Se uma das partes não quiser que cresça, acabará por sufoca-la, porque esta é a ordem natural das coisas. E é quando se começa a sair da nuvem, quando deixamos de pairar mais de metade do dia, quando o outro deixa de ser perfeito aos nossos olhos, quando nos desilude ou não o conseguimos perceber, então é aí que começa o trabalho de cuidar, de proteger e de mimar a relação.
As metades dependem das vontades. Às vezes amamos muito o outro, mas não sabemos cuidar dele porque estamos demasiado fechados nos nossos problemas, ocupados a cuidar de nós. Para uns é muito mais fácil dar do que receber. É o caso das pessoas carentes, que se sentem mais felizes em proporcionar aos outros o que eles querem do que em proteger e cultivar as suas necessidades. No outro extremo estão as pessoas mimadas, que acham que tudo lhes é devido e que cada vez que dão, fazem questão de mostrar ao outro o que lhe estão a dar. O gesto de dar, seja o que for e a quem for, deve ser discreto, tácito e silencioso.
Quando nos damos a alguém que amamos, damo-nos em pequenos e grandes gestos, não é preciso fazer uma campanha à volta disso. Ou estamos dispostos a dar, ou não. E se damos o que queremos e porque queremos, não devemos cobrar a nossa generosidade, ou estamos a retirar-lhe a sua essência.
O mais importante é saber dar, para que o outro valorize e vá reconhecendo como somos, sem precisarmos de lhe dizer. Se o outro nos amar, também vai dar-nos o seu melhor, mesmo que o seu melhor seja diferente do nosso. Nem todos os homens são românticos, nem todos se lembram das datas como as mulheres, nem todos sabem responder a uma carta de amor, mas se estiverem sempre ao nosso lado quando for preciso, se todos os dias nos acordarem com um beijo quando estão perto ou um sorriso quando estão longe, se são consistentes e dedicados, então, como diz uma amiga minha, já estão de bom tamanho.
Não há homens perfeitos e ainda bem, porque se houvesse, fartávamo-nos deles num instante. Um homem imperfeito é um ser humano normal, o que não é normal é um tipo tão posto por ordem que parece não falhar em nada, porque não pode ser verdade. Todos falhamos, todos temos defeitos chatos, todos temos momentos parvos e todos dizemos coisas irreflectidas que nem sempre pensamos. Quando não conseguimos entender o outro, pode ser que nem o outro consiga perceber o que se passa. As pessoas estão sempre a aprender umas com as outras, viver e amar são antes de mais, exercícios de humildade, nos quais saber parar, saber ouvir e pedir ajuda ao outro quando é preciso, ajudam a solidificar a relação. O amor é gerador de beleza e de felicidade, por isso é preciso mima-lo como fazemos a uma bebé, cuidar dele e protege-lo para que cresça saudável e forte. Sem investimento nem optimismo, não se constrói nada. E, acima de tudo, tem de existir a vontade de querer amar o outro, para que, com o tempo, ele venha a ser a cara-metade que sempre sonhámos. Os sonhos constroem-se. E ao amor também."

M.O.

Conversas que davam um livro...

M.R. temos conversas que se compilassemos davam um livro seguramente... Já debatemos e teorizamos tantos temas diferentes apenas com a permissa comum AMOR

E sim o amor dá muito que falar, que sentir...

Durante 7 anos vivi no outro lado da barricada e feliz sem dúvida... Sou uma pessoa que se adapta normalmente a qualquer situação e não há muitas coisas que me ponham desconfortável na minha pele...

Mais que o namorado versus sem namorado a questão é estabilidade versus instabilidade...

Qual a que preservamos? Qual a mais importante para nós?

Adoro a adrenalina da instabilidade, viver na corda bamba... faz me sentir viva mas não consigo viver muito tempo nesse registo... na realidade depressa me magou-o, farto-me, aborreço-me e descontrolo-me...

Rapidamente me apercebo que não conseguirei viver assim muito tempo...

E não consigo de facto...

Já estou há 1 ano sozinha, envolvi-me com uma pessoa (não vou contar com o meu principe suiço lol), as coisas nunca evoluiram... nunca andaram pra frente e eu sofri (sofro?!) e continuo na árdua caminhada de uma mulher solteira num mundo que respira sexo e onde o amor... esse... é muito dificil de encontrar... Onde vivemos na dificil tarefa de descobrir o homem da nossa vida entre gajos idiotas com a mania que são os maiores bad boys da zona, os burros que se acham espertos, os sensíveis que nos tornam autenticos homens, ninguém que se realmente se encaixe...

E é dificil sem dúvida... mas não posso concordar mais com a M.R. é nesta fase que mais aprendemos sobre nós próprios, sobre a pessoa que somos, os valores que temos, os nossos limites, a nossa força, capacidade de gerência...

Mas um dia todas nós vamos encontrar quem realmente chegue ao coração, nos dê o que merecemos, quem nos vai fazer realmente felizes...

Mas sem dúvida temos de estar dispostos a isso, temos de querer, temos de nos abrir ao mundo... se nos deixarmos ficar fechados na concha nunca vamos evoluir, nunca vamos andar para a frente e o move on dificilmente acontecerá...

Acho que ainda não tou preparada para outra aventura, ainda estou a lamber as feridas desta última mas logo aparecerá alguem, tenho a certeza :)

M.O.


És mais feliz sozinha ou com namorado?

Hoje eu e a M.O Acordamos inspiradas, e começamos a " viajar na maionese logo de manhã"

mando-lhe um texto " dos meus saltos altos"

e começamos a falar dele....

Concluímos que nisto nas relações não podemos generalizar, que cada caso é um caso, que há comportamentos semelhantes mas há muitos factores condicionantes.  Estamos sempre em mutação e é isso que faz a vida um constante desafio.
Ela acha que há pessoas que conseguem viver na instabilidade, eu acho que mais dia menos dia há  uma necessidade acalmar e viver na estabilidade, simplesmente há fases  que todos passamos e que temos que vive-las e aprender o que cada uma delas nos ensina.

A M.O dizia me que tem dias que gostava de ter alguém que outros nem pensar. Eu concordo com ela, há dias, semanas, momentos que isso acontece.

Pergunta-me ela:

A serio?
Não achas que é namorar? 

tendo em conta que dou muito valor a estabilidade sim
mas tb fui mto feliz sozinha
e aprendi muito sobre mim mesma
que não consegues tendo namorado


Respondendo mais profundamente à questão do titulo...
Obvio que depende do sentimento.

Posso falor por mim... Sou muito mais feliz com namorado. Por várias razões:
Sou uma pessoa de afectos
PRECISO de estabilidade emocional  para me sentir bem
E a pessoa ao meu lado faz-me feliz. 

Mas atenção, tive 3 anos sem assumir uma relação e posso dizer que também fui feliz, vivi coisas únicas que com namorado não vives nem fazes. 
Aprendi coisas sobre mim que desconhecia até então. 
Tive algumas  relações que me fizerem fizeram bem e outras que nem por isso. Cai e levantei-me mais forte que nunca. 

Sou muito feliz a namorar, mas se por alguma razão as coisas não correrem bem, não tenho medo de estar sozinha e isso nunca será um motivo para me prender a alguém. 
M.R




Vocês têm amigos para sempre?

"Eu gostava de ter. Mas, não sei, sou suspeito para dizer se tenho ou não. Talvez o problema seja da fita métrica, da bússola, da ampulheta, dos instrumentos que uso ao mensurar as coisas da vida. Nas minhas contas o para sempre é tão grande, tão longo, tão distante, tão pesado, tão rarefeito que só saberei da sua verdade quando eu já não estiver aqui para medir. Mais uma prova de que o infinito e o zero são muito parecidos.

Penso nisso a olhar os telhados de Lisboa, o Tejo a fluir ao fundo, no terraço de um hotel em pleno Chiado. O inverno esvai-se, logo chegará a primavera. Mas eu não estarei aqui para ver o abrir das flores, nem os cravos de Abril. Mais uma vez, estarei do outro lado do oceano, à procura de algo que justifique a separação dos amigos de cá. Um bom motivo (o melhor motivo) são os amigos de lá.

O problema de quem vive com cada pé num continente diferente é estar sempre longe, mesmo estando perto. O coração eternamente meio cheio, meio vazio. Ser emigrante é morrer um pouco a cada partida e renascer um pouco a cada chegada. E renascer (a parte boa do processo) é bonito mas também faz sofrer. Não há parto sem dor, nem mesmo no universo das metáforas.

Independente do que terei pela frente, temo pelo que fica para trás. É tão difícil construir e manter verdadeiras amizades que a distância não augura nunca nada de bom.

Amizade é amor sem contrato. Sendo assim, quando as partes se afastam o lógico seria cada um procurar alguém para a substituição. O que salva é que o coração não tem nada de lógico. Quem ama, mesmo na amizade, é disparatado, irracional, absurdo. Os tolos e os de bom coração (uma redundância) herdarão o reino dos céus.

Quando esta crónica for lida pelos meus amigos portugueses estarei já distante. Que ela sirva de aceno, não só para os meus, como também para os amigos da nova diáspora portuguesa, os exilados pela crise. Só nós sabemos que o Skype é bom mas não resolve. Quem duvida que tente abraçar um computador.

Ou como diria o meu Tio Olavo, em pleno aeroporto do Portela, guitarra em punho, a cantar um sambinha do Chico: “Vai, meu irmão/Pega esse avião/Você tem razão de correr assim/Desse frio, mas beija o Rio de Janeiro/Antes que um aventureiro lance mão/Pede perdão/Pela duração dessa temporada/Mas não diga nada/Que me viu chorando/E pros da pesada/Diz que vou levando/Vê como é que anda/Aquela vida à toa/E se puder me manda/Uma notícia boa”. [No vídeo, ‘Samba de Orly’, com Toquinho e Chico Buarque] " 

Tirado Daqui 


M.R 

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Grande Merda

Isto das relações é um jogo, um jogo muito perigoso, que a dificuldade é os 2 ficaram a ganhar,  normalmente sai 1 a perder.  Quando se começa este jogo ninguém sabe como vai acabar, as regras mudam, os jogadores mudam, têm sentimentos e nunca prevemos o final das coisas.
O teu M.O foi um jogo perigoso desde o inicio. Em que quiseste controlar tudo, não controlaste nada ee acabaste por perder. As vezes acontece, já perdi algumas vezes, ja ganhei outras.
Aqui o que sempre me meteu confusão é que tens noção da pessoa que ele é, que nunca ias ser feliz com ele. Tens noção que nunca te deu nada,  a vossa relação exprimidinha não sai nada amiga lamento, 

Ontem em conversa com o meu namorado falávamos de " karmas de vida" eu dizia -lhe que havia pessoas que marcavam a nossa vida, ele dizia que as pessoas só têm uma marca na nossa vida enquanto tivermos sentimentos por elas. Não sei, vamos acreditar que o tempo afasta esses karmas. 

Um dia vais olhar para trás e perceber o quanto esta relação foi ridícula, como ele não tem  nada a ver contigo, como nunca te deu nada... palavras amiga levam-nas o vento... 


"ai gostas de mim?" que é como quem diz " sou o maior não sou?" " não me resistes já viste?"


GRRRR

Queres uma frase mais egocêntrica?  
Ele ja te te demonstrou de alguma forma que gosta a sério de ti? que quer fazer tudo para ficar contigo? que te respeita?

Respeito? 
Vamos falar de respeito? 
Não vamos. 

MO. És uma pessoa incrível, es das pessoas que mais admiro. Uma pessoa inteligente, culta, interessante, determinada, lutadora, és a melhor amiga que alguém pode ter, sincera, racional, linda, divertida e podia continuar aqui a descrever-te.
Sei que a tua auto-estima é grande, não preciso estar com estas conversas. Agarra-te a isso segue em frente. Um dia vais encontrar alguém que te mereça.

E juro-te que se voltares a estar com ele levas um enxerto de porrada!

M.R.





segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Fim...

Estou triste, desiludida nem sei bem com o que... Não porque tudo isto me afecta e me põe para baixo... Logo eu a Miss fortalhona... Não sou assim tanto como podem constatar...

Mais uma saída com o Como Assim, mais uma noite que acaba mal... para mim claro...

Não sei porque ainda não aprendi que dá sempre mau resultado e não evito estas saídas a todo o custo... Enfim também me custa andar a mudar a minha vida por causa dele...

Tivemos juntos horas de mais, com tensão demais, a embirrar um com o outro demais, com álcool a mais...

Chegamos chateados à festa... depressa fizemos as pazes com direito a uns beijos melosos...

Seria mais do mesmo não fosse ter me estalado o verniz e ter armado a discussão da vida... Curiosamente não teve nada a ver com gajas mas sim com algo que ele me disse que me caiu mal tão mal que sai disparada do carro (quando tinha dois amigos a tentarem impedir que o fizesse) e virei bicho!

Não sei se alguma vez me viram assim, nem sei sequer se alguma vez tive assim... Senti-me atingida e quando isso acontece viro mesmo leoa e sai patadas para todos os lados... E saíram várias dirigidas a ele... Passei-me e disse coisas do género: "És uma merda!", "Não vales nada!", entre muitas asneiras e palavrões... Ele também lá me foi tentando responder entre gaguejos, palavrões lá me disse algo que me atingiu e que agudizou ainda mais a minha raiva (sim era raiva o que sentia por ele naquele momento):

M.O.: "Dizes isso aos teus amigos?! Dizes?!!!"
C.A.: "Tu não és minha amiga! És outra coisa!"

E pronto o que restava de algum verniz estalou no mesmo segundo em que ouvi aquilo e na minha cabeça passou exactamente o que disse:

M.O.: "Não sou tua amiga????Então sou o que???? Diz me na minha cara o que eu sou!"
C.A.: "Pára com isso!"
M.O.: "Diz se tens coragem!!!!"

Foi a discussão da vida, excedi-me, passei-me, desci o nível, perdi o controlo de mim, da conversa, da situação...
Não não foi nada nada bonito na verdade... Mas senti uma enorme raiva dele e fiquei cega com a raiva...
Conseguiram interromper a discussão e enfiarem-me dentro do carro... a minha noite acabou naquele exacto momento...

Não satisfeito com tudo aquilo ainda me ligou algumas vezes atendi apenas duas... A preocupação dele prendia-se com o facto de eu estar chateada com ele e de não gostar dele... Disse-lhe que não queria falar com ele e na verdade naquele momento era mesmo a última pessoa com quem queria falar...

Esta historia do gostas de mim parece uma obsessão... Mas isto é apenas e só um enorme jogo psicológico... um jogo para me fazer sentir que se preocupa... Não sei qual a sua real intenção com isto tudo...

Mas a quem ficou a pesar tudo isto foi em mim... quem ficou a pensar e a remoer tudo isto fui eu... é a mim que dói... sou eu que tou na merda... sou eu que tou a deprimir como nunca deprimi quando o meu ex, com quem partilhei a minha vida durante 7 anos, me literalmente trocou... Não percebo o que sinto... Não percebo o que é isto, que sentimento é este...

Face a tudo isto resolvi enviar-lhe uma mensagem a dizer que precisamos de falar, obviamente quando percebeu que queria que a conversa fosse pessoalmente deixou de responder... tipicamente masculino... quando se trata de encarar as coisas como elas são ainda que nos sejam desfavoráveis pimba foge-se sempre pelo caminho mais fácil...

Não me dei por vencida, até porque seria impossível ele evitar-me durante muito tempo, e enviei-lhe uma mensagem a dizer tudo... disse lhe primeiro que me desculpasse pelos excessos de sábado, que não queria continuar neste registo, que não valia a pena, que gostava dele mas nada iria mudar entre nós e que queria parar com estes envolvimentos circunstanciais que não me faziam bem, que se para ele era igual para mim não era...
Por incrível que pareça respondeu... obviamente que a tudo menos à parte em que expresso qualquer sentimento (típico)... Mostra que tem pelo menos consideração... menos mal... Nem sequer lhe respondi...

Gostava de vos dizer que para mim este assunto morreu... infelizmente morrerá apenas no dia que eu olhar para ele e não sentir nada... Se esse dia chegar...

Neste momento o que sinto é sem forças... Como se tivesse sido atropelada por um camião... cansada, aliviada, triste, deprimida, angustiada, um sentimento de perda que não consigo explicar... É ridículo... Não posso perder o que nunca tive... Sinto-me a afogar-me numa imensa tristeza... Apetece-me ir para outro planeta, fingir que eu própria não existo...

Fim...
M.O.









" Chorar? Nem parece teu"

Ontem em conversa com uma prima minha que me veio perguntar se estava bem " Pelo que vejo pareces muito bem", tendo em conta que não estava nos meios dias a minha resposta foi esta" queres que meta fotos no facebook nas alturas em que estou a chorar? "

" Chorar? nem parece teu" 


Sim tenho chorado muito, ninguém tem noção. As vezes dou por mim com o aperto e tenho necessidade de chorar. 
Nem me reconheço, sinto me triste, com um vazio, sinto-me incompleta. O Dinheiro não trás felicidade de facto. Que grande lição de vida que estou a aprender aqui. E só por isso já valeu a pena. 
Sinto falta das mais pequenas coisas, desde o meu acordar na minha cama, ao abraço matinal que dou à minha mãe, o cheiro dela, sair agarrar no meu carro, ver o mar todos os dias  sem excepção, Estar ansiosa que chegue ao fim do dia para estar com os meus amigos e o meu namorado, neste momento dou por mim ansiosa para chegar ao fim do dia porque é sinal que o tempo andou, e passou mais um dia, e falta menos um para regressar a casa.
Tenho saudades de chegar ao fim de semana e não parar em casa, ir passear, namorar, sair com amigos, aproveitar a vida, e não estar simplesmente à espera que o tempo passe. 
No inicio estava a adorar estar aqui, o calor todos os dias, uma rotina nova, pessoas novas para conhecer, uma nova experiência, um novo desafio. Agora dou por mim a olhar à minha volta e pensar... " Não pertenço a este lugar, a estas pessoas. 

11 dias para regressar, e peço que o tempo passe.... rapido!

M.R 

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Angustias de Amiga

M.O se pudesse entrar no teu coração e meter off.. já estava!
É angustiante perceber que tens a tua melhor amiga numa relação que tem 0,1 possibilidade de a fazer feliz.  deixo 0.1 possibilidade porque nesta vida nada é impossível.
Depois do que tanto falamos, chega a uma altura que se achamos que já fizemos tudo e nada mudou temos que mudar de estratégia, acho que estamos nessa altura. Já te disse que estas à entrada da porta e não consegues entrar nem sair... como racional que és tentas sair, constantemente, sem resultados. Acho que nesta fase deves entrar na porta, atirar te de cabeça, viver essa relação,  as vezes temos de bater com a cabeça nas paredes, mas mesmo a sério, até sangrar, acho que precisas de passar isso para perceberes realmente que não vale a pena amiga.

Sei que achas que ele gosta de ti, e isso acaba por te agarrar com aquela 0,1 possibilidade da mudança.

Acho que um dia vais olhar para e perceber que esta relação não tem sentido. Vocês pertencem ao mesmo grupo de amigos, vêem-se constantemente, és especial para ele porque fazes parte da  vida dele como não há outra que faça e isso faz terem uma relação única. Acho que se ele te quiser de verdade não há nada que lhe impeça. Desculpa amiga mas até agora não o vi a fazer nada. E picardias da treta não te levam a lado nenhum nem mostram absolutamente nada.

M.R.

o que se ouve por cá? Ora ouçam

A favorita:











M.R

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Sem vontade de dar título...

Já comecei a escrever dois textos e nada de jeito me sai... ficam sempre inacabados porque me faltam as palavras, queria que o silêncio falasse por mim, que não fosse preciso dizer nada... Queria me afogar nas palavras que não quero dizer mas me brotam da boca como se tivessem vida própria...

E sim depois de tudo dei ai vinte passos para trás em relação ao Como Assim...

Nem foi só ter-mo-nos envolvido mais uma vez é a proximidade em que andamos agora... Nunca tivemos assim antes... A nossa relação iniciou-se com o único fim de estarmos juntos e assim foi até que deixámos de estar... E agora de repente parece que somos "amigos"...

Estas coisas baralham-me a cabeça, o coração, a vida...

Como se é amigo de alguém que se gosta? É possível?

Parece que voltei à estaca zero... Que o muro que tinha erguido (ok só tinha ai um palmo de altura) foi completamente deitado abaixo...

No sábado com aquela cena de ciúmes, que chega a ser patética face à relação que temos, dei-lhe uma moral elevadíssima... Deve-se estar a achar literalmente a última bolacha do pacote...

Mas o que mais me enerva é ele querer fazer passar para o resto do mundo uma imagem de que eu é que gosto dele e que estou caidinha e que faço cenas de ciumes.... Ok é verdade no Sábado fiz... mas atenção não armei nenhum escândalo simplesmente não disfarcei o meu desagrado... não armei cenas... Tava descontrolada é verdade mas até descontrolada sei ser uma senhora lol Tentei manter a pouca postura que me restava...

Ele não pense que vende a minha imagem como se de uma tola apaixonada se tratasse... Não sou louca! Não invento relações! Não invento que é ele que me liga, que é ele que me manda msg, que é ele que me procura, é ele que faz cenas de ciúmes! Se ele não me disser nada eu fico no meu canto por mais que goste dele...

Sei o que é melhor para mim, mas o meu coração não sabe... É burro e acha que percebe muito disto...

Conhecendo-o não percebo também o que o mantém "interessado" em mim... tipo já tivemos juntos várias vezes... nada de novo... Com uma panóplia imensa de "gajas" que ele pode "conhecer" porque voltar sempre a mim, a baralhar-me o sistema...

No Sábado é verdade não mostrou qualquer respeito por mim quando se esteve a fazer a uma gaja mesmo debaixo das minhas barbas, mas afinal nós não andamos, não lhe posso pedir satisfações mas descontrolada como estava não me coibi de mostrar o meu desagrado e o que é que ele fez? Mostrou-se incomodado pelo facto de eu estar assim... se não sentisse nada também borrifava-se no facto de eu estar a fazer birra não?
Sei que isto tudo vale o que vale! É notório que ele gosta que eu goste dele ponto... É a única certeza que tenho nesta história... Já nos chateamos muitas vezes mas acabamos sempre por fazer as pazes e na maioria das vezes por iniciativa dele (sou sempre a hiper orgulhosa)...

Sei que devia me afastar de imediato mas não é fácil, temos muitas pessoas em comum, muitas ocasiões em que estamos juntos, em que as coisas se proporcionam... e pior eu não consigo afastar-me totalmente... Comos nos afastamos e banimos da nossa vida quem gostamos? Alguém me consegue explicar? Alguém me consegue dizer como faço isto?

Acho que desde que tudo começou estou na pior fase de sempre... nunca tivemos tão próximos mas precisamente por isso cada vez se torna mais dificil gerir esta situação... E é isso que sinto falta de capacidade de gerência... Não estou a saber dirigir, administrar este sentimento e a minha relação com ele... Escondo-me atrás do muro deixando claro que ele não chega cá mas passo a vida a espreitar por qualquer fresta aberta...

A M.R. diz-me que estou com um pé dentro da porta e outro fora... Que não sou capaz de entrar mas também não saio da porta... Sim ela tem razão... Aliás tem razão em tudo o que me diz...

E sim não estou bem... Mas irei ficar... espero...
M.O. 






quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Podia ser anedota mas não é

A caminho de casa com os meus meninos ( são 2 no meio de 6 raparigas coitados!) vamos nos na risada como sempre e começamos a falar em abordagens de rapazes a raparigas em várias situações, começaram me a contar experiências deles e como não foram bem sucedidos... la vou eu tentar dar umas dicas:

Ele: Eu já meti com uma no facebook disse lhe que cara dela não me era estranha
Eu: E ela?
Ele: Cagou na minha alma.
Eu: Olha a mim conquistam -me através do bom sentido do humor
Ele: Então chego lá e conto lhe uma anedota?

M.R


Coisas de gajas

Quem me conhece sabe que não sou aquela pessoas que ADORA IR AS COMPRAS, não é o meu programa favorito, mas confesso que sinto falta de ser consumista e comprar o que me apetece.
Quando chegar tenho algumas coisas para comprar:

- Sandálias pretas
- Sandálias brancas
- Roupa fresquinha mais formal
- Vestido de casamento da minha Jo

Lá  terei que tirar o dia para me " perder"

T.P podes ir começando a pesquisar uns modelitos para o casamento. O tema é Veneza e  vou levar uma mascara prateada.

M.R.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Há coisas que só se resolvem com o tempo.

Há dias mais fáceis do que outros.
Dias como o de sábado dá cabo de meu coraçãozinho ( que já está do tamanho de uma ervilha).
Não estar com as pessoas que amo em dias especiais é uma facada, custa me horrores. ( ainda bem que marquei férias para o dia de aniversário da minha afilhada e do meu namorado se não nem sei como me aguentava). 
Óbvio que tive uma descrição detalhada de tudo o que se passou ( ai de ti MO se não o fizesses).
Coincidências infelizes, mas que acontecem. Mas há coisas que só têm a importância que lhes queremos dar.
Em relação ao que aconteceu ao Como Assim M.O, já falamos as duas sobre isso, ja expressei a minha opinião, isso é quase uma relação platónica, que acho que não vai dar me nada, e assim espero porque senão nunca vais ser feliz amiga! TU SABES!
O coração é tramado, bolas! Tem vontade própria é sempre contra  a racionalidade, não sei como se vai contra isso amiga, sinceramente,  já me perguntaste, ja tentamos chegar a uma solução e não existe. 
Deixo essa historia nas mãos do tempo, espero que ele te guie pelo melhor caminho.

M.R 

27 anos pequeninos mas bons :)

Pois é no Sábado foi dia de festa... 27 anos acabadinhos de fazer...

Fizes-te tanta falta M.R.... Tenho tantas mas tantas saudades :(

Passei a semana toda com um feeling estranho sobre esta noite... não me enganei... 

Jantar em Lisboa, restaurante com bebida à descrição, karaoke = beber demais

O Como Assim resolveu estar um fofão e presentear-me com um ramo de flores lol Confesso que a minha surpresa foi imediata... O Como Assim (o ser mais abrutalhado que conheço) a dar-me flores?! (pensei que tinha roubado a alguém lol) É algo que a probabilidade de acontecer é mínima... Ele não é de fazer coisas para agradar, não é de ser querido nem fofinho... ele é... ele... 

Tentando sempre manter a minha postura lá me fui derretendo a pouco e pouco... aliás nada que vos surpreenda certo? 

Admitiu que o irrito muito mas que gosta de mim... Não duvido nem de uma coisa nem outra... Faço de propósito para o irritar e ele a mim... Também demonstra que gosta de mim em pequenas atitudes como preocupar-se onde estou, se estou chateada, cenas de ciumes, etc... 

Estas relações são terríveis baralham-te o sistema... Se por um lado ele até demonstra que gosta de mim por outro não consegue mudar certos comportamentos que ele sabe que me magoam... Ele será sempre assim... A esperança na mudança é mínima e não posso passar o resto da vida à espera que ele mude... 

Apesar de fartinha de saber isto tudo é muito difícil resistir quando gostamos de alguém, é difícil dizer que não quando o que mais queremos é voltar a estar junto... Afinal o que podia fazer? 

E sim acabamos por nos envolver... Há algum tempo que isso não acontecia... Se gostei? muito... se me fez bem? hum... acho que não... 

Ás vezes não sei que pensar... 

Sei que jamais vai funcionar e sei o que não quero mas este sentimento baralha-me a cabeça, o coração... 

Perguntou-me se me tinha envolvido com alguém, melhor se tinha ido para a cama com alguém neste período do tempo... A verdade é que não fui... A minha cara respondeu por mim... Um sorriso, um abraço meloso e um "gosto de ti" foram a paga por esta informação... 
Os homens adoram isto... sentirem-nos na mão, que gostamos deles, que somos deles... 

Enfim, em suma envolve-mo-nos mais uma vez, gosto dele e ele também gosta de mim... de resto tudo na mesma...  

Para melhorar tudo isto em pleno Bairro Alto quem aparece vindo não sei bem de onde e me aborda para me dar os parabéns? Isso mesmo A.C., ex da MR... até aqui tudo normal a não ser o facto do actual namorado dela, que não morrer de amores pelo A.C., estava comigo... Foi uma situação estranha e constrangedora... fiquei um bocado sem saber o que fazer principalmente quando o A.C. resolveu ir cumprimentar os rapazes o que consequentemente fez com ele cumprimentasse o S.C.... Eu vi a cara dele e não foi de quem tava a gostar da situação... foi uma estranha e infeliz coincidência... As coisas só têm a importância que lhes damos... O S.C. não deve dar importância a este tipo de coisas... Não duvido nem um segundo do sentimento da M.R. pelo namorado, vejo nos olhos dela que há amor e quando há amor não há maior segurança... Tentei puxar o tema com ele mas cortou-me a conversa completamente... Não acredito que não tenha mexido com ele mas ele não fala sobre o assunto... Não sou nada assim e quando as coisas realmente me incomodam sou incapaz de não demonstrar logo, de explodir... há coisas que não consigo guardar para mim, preciso de deitar cá para fora... Não sei como ele consegue guardar para ele... "morremos afogados nas palavras que não dizemos" acho que esta frase define bem... 
Enfim espero mesmo que não tenha qualquer impacto e que não tenha de facto passado de uma infeliz coincidência... 

E pronto foi esta a minha entrada nos 27... Rodeada de amigos, a divertir-me muito e com o Como Assim pertinho de mim e do meu coração... 
M.O.










sábado, 15 de fevereiro de 2014

Parabéns M.O

Não consigo descrever o que é estar longe de ti este dia... Tu sabes... Também não consigo descrever o que tens sido para mim desde que reapareceste na minha vida... Talvez das melhores coisas que me aconteceu! Não consigo também agradecer te o suficiente pela tua amizade, sabes os meus pensamentos, não tenho segredos contigo, tens sido mais que uma amiga, a distancia não mudou uma vírgula o que temos, ouves os meus desabafos, as minhas tristezas, as minhas alegrias, as minhas escolhas, dizes aquilo que ninguém me diz... Temos uma relação fora do comum e isso me da um chão um colo um apoio inexplicável! Eu e tu sabemos o que sentimos o que nos une! Parabéns minha Soulmate! Es das melhores coisas da minha vida, admiro a pessoa que es, estou do teu lado hj e sempre para o bem e para o mal como sabes! Adoro te tanto tem um excelente dia minha querida

M.R. 

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Karma

O Como Assim é um karma na minha vida...

E por karma entenda-se algo que estou a pagar nesta vida... é que só pode...

Continua a atormentar a minha vidinha...

Na semana passada tive com ele numa situação puramente profissional, sem qualquer interesse ou jogo e o que é que ele fez? Inconveniente ao máximo, literalmente a fazer-se a mim o tempo inteiro, sem qualquer noção da situação ridícula em que nos estava a por (sim a mim e a ele)...

Pela primeira vez o Como Assim deu em cima de mim e eu não gostei... foi uma atitude completamente despropositada, infantil de uma pessoa completamente sem noção...

Ontem aconteceu algo que só me tinha acontecido uma vez e foi com o namorado da M.R. que é dizer o nome dele e ele materializar-se à minha frente como se fosse magia... Quando estava no meu café de fim de semana, descansada da minha vida, enquanto um amigo meu se lamentava da sua vida amorosa e eu tentava dar a minha opinião de forma serena, onde eu já bocejava insistentemente e há horas que queria ter ido embora, eis que pronuncio o nome dele e pufff como uma arte mágica ele aparece sozinho do nada (diz que viu o meu carro no estacionamento e entrou)...

Pois bem a conversa decorreu de forma agradável, sempre em tom de brincadeira (continua a insistir mostrar aquela maldita foto que vai lá Deus saber porque lhe enviei na brincadeira), tentando passar a imagem de que sou uma tola apaixonada (espero que ninguém acredite nisso).

Enfim, entre festas na mão, pedidos para entrar no carro dele (os quais estoicamente recusei), muitos "bora dar uma volta", bla bla bla... conversa de engate do costume...

Entro no meu carro e sigo a minha vida para onde ela tem de ir... longe dele... ainda nem tinha feito a primeira curva plimmmm mensagem: "tolinha", respondo: "cromo" (sempre uns fofos eu sei lol)

e eis que plimmm "no fundo lá no fundo até gostas de mim"
Confesso que esbocei um sorriso derretido e pensei "Este gajo acha-se a ultima bolacha do pacote!"

E lá continuamos a numa conversa filosófica (ou não... trata-se do Como Assim) de quem gosta de quem...

Ele adora tirar-me do sério, provocar-me e eu a ele confesso... Nisso entende-mo-nos na perfeição... Este jogo do toca e foge vai sendo alimentado pelos dois...

E sim gosto dele... mas garanto que ele também gosta de mim... LOL e ele sabe...
M.O.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Egos masculinos



É sem dúvida algo que me intriga… o ego masculino…
Maior que eles próprios são os egos dos homens hoje em dia…
Um homem precisa de alimentar o seu próprio ego e qual o maior e melhor combustível para manter o seu ego a alta velocidade? Sim… nós mulheres…
E deixem que vos diga que mesmo quando não queremos somos peritas nisso… alimentar o ego alheio…
Os homens adoram ser o centro das atenções (da nossa atenção), que os elogiemos, que os achemos os maiores e os melhores, deliram quando admitimos que mexem connosco, que queremos ficar com eles (mesmo quando na realidade eles não querem), e quando não fazemos nada disso fazem de tudo para o conseguirem…
Fazem-nos sentir especiais por alguns momentos à espera que com isso nos apaixonemos e mais uma vez lhes alimentemos os egos…
O ego masculino é como um animal de muito alimento, que raramente está satisfeito, e que se farta de comer a mesma comida com relativa facilidade…
É muito fácil ferir o ego de um homem… é muito fácil chamar a sua atenção… basta que o mesmo deixe de ser o centro do nosso universo… Nada mexe mais com um homem que sentir e ver o objecto do seu desejo (e não… não precisam de estar apaixonados ou sequer gostarem de vocês) dar atenção a outra entidade masculina… E porque? Mexe-lhes com o ego… o ego deixou de ser alimentado… e o que fazem? Correm atrás… mandam-nos SMS… ligam-nos… mandam-nos flores… coisas fofinhas… Com que intuito? Deixarem-nos caidinhas… Para que? Para voltarmos a alimentar-lhes o ego… E o que fazem a seguir? Magoam-nos o coração…
É esta a lógica masculina… Alimentem-nos o ego e nós não vos magoamos o coração…
Tenho para mim que esta inusitada necessidade de alimentação do ego só demonstra o quão fracos são, o quão falta de amor-próprio tem… Quem tem a certeza do que é e do que vale não necessita que outras pessoas lho digam com frequência…
Mas a maioria dos homens tem realmente um ego faminto que não se contenta com qualquer coisa e pede sempre mais… Por isso muito deles fazem o seu fim último a busca da alimentação desse mesmo ego e é ai que magoam e espezinham pois uma vez os egos alimentados depressa passam à vitima seguinte quais vampiros esfomeados…
Ok é uma visão negra da coisa… sim é… Mas infelizmente acho que é a real…
E não se iludam… Eles não nos largam enquanto precisarem de nós para alimentarem o seu ego, muitos não estão apaixonados, muitos não gostam de nós, muitos precisam apenas de sentirem que gostamos deles, que estamos ali… E é tão difícil distinguirmos estas situações… Temos uma terrível tendência a acharmos que somos especiais, a interpretar sinais que apesar de te fazerem crer em algo na realidade não querem dizer nada… 
M.O.


quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Ai estou tão mal habituada

Ontem antes de dormir pensei para mim, meio amuada. " M.R estás mesmo mal habituada".
O meu namorado andou mais ausente, à quarta é sempre assim, mais trabalho, depois saiu e foi jantar com os amigos, ou seja não me deu tanta atenção, falamos muito menos do que o habitual.. bolas fiquei mesmo amuadinha.
Óbvio que não lhe disse, ele ia me achar ridícula, mas senti.... " Não pode ser M.R. não pode ser, que isto não é sempre assim e vais sofrer "  Falo eu comigo mesma. 
A culpa é toda dele que me enche de mimos e de atenção, se não fosse sempre assim já não estranhava!

A culpa é dele, só dele!  ( não é nada, é que estou mais sensível... GRRR) 


M.R.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Princípe Suiço

Ontem vasculhei tudo o que era comentários sobre o Bairro Alto Hotel, facebook inclusive, tudo em busca do meu princípe suiço... Sim porque um enorme arrependimento de não ter ficado com nenhum contacto tomou conta de mim...

Possa podia ter ficado pelo menos com um e-mail não?

GRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRRR

mil vezes burra!!!!

Enfim, a verdade é que não fiquei, que todas as minhas buscas foram infrutíferas e que não me resta alternativa senão resignar-me a manter vivo o meu pricipe suiço apenas na minha memória...

Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii (suspiro maior que o mundo)
M.O.


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Falar de ex relaçoes = transparência?

Ontem chatiei -me com o meu namorado... raramente acontece e por isso me deixa mal.
O meu namorado é a mulher da relação. Estão a ver aqueles mulheres que querem saber tudo sobre as ex relações dos namorados mas depois eles falam e ficam chateadas?
É isto, o meu namorado quer transparência, quer que falemos de tudo sem mascaras, como ele refere, e tudo bem, sem problema, falo de tudo.
Há uma pessoa do meu passado que o atormenta, incomoda, que foi a causa da nossa discussão mais a sério, feia, dolorosa.
Ontem a conversa em me aperceber foi parar a ele, e quando dei por mim estávamos a falar dessa discussão, e eu quis parar a conversa, ele não compreendeu isso. E discutimos outra vez por uma coisa sem sentido.
Quer transparência mas não sabe lidar com ela.
Não devemos falar de relações passadas, acaba por magoar a outra pessoa, isso não significa que não se tem uma relação transparente, eu não tenho segredos com ele, ele quer saber tudo sobre mim, eu respondo sem problema, mas há assuntos que não nos traz nada de novo, que não vai ajudar em nada o nosso presente.
Relações transparentes Q.B há coisas que não acrescenta nada à relação actual.

M.R

sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

AMIZADE, AMOR E CUMPLICIDADE

"Porque é que às vezes partilhamos impressões, medos e desabafos com os nossos melhores amigos que não conseguimos partilhar com a nossa cara-metade? Não é só porque temos medo de magoar ou de desiludir quem amamos; também é porque ainda não temos intimidade suficiente que nos permita faze-lo.
Acredito que a cumplicidade pode ser quase automática: conhecemos uma pessoa e intuímos muito depressa se nos sentimos confortáveis na sua companhia, se nos vamos entender, se o outro vai perceber as nossas piadas. Por isso Vinicius de Moraes diz que os amigos não se fazem, reconhecem-se.

O entendimento que criamos com os outros envolve pressupostos que incluem o mesmo tipo de inteligência, interesses parecidos e valores comuns, ou seja, mais ou menos a mesma forma de encarar a vida e os problemas que ela nos pode trazer. O bom entendimento também passa por ter atenção pelo outro; perceber o que é importante para ele, ouvir as suas histórias, ajuda-lo a afugentar os seus fantasmas, a arrumar ideias e a fazer escolhas. E em tudo isto não faço distinção entre amor e amizade porque no que respeita ao entendimento, este faz tanta falta a um como à outra. Não existem verdadeiras amizades sem cumplicidade, da mesma forma que o amor verdadeiro não existe sem entendimento. E aqueles que pensam que pensam que têm uma história de amor com um amigo com quem por acaso já dormiram numa noite de copos, não sabem o que é amor, porque o amor é uma partilha continuada no tempo e comprometida no coração, muito para lá de uma troca de fluídos inconsequente.
Diz Lawrence Durrel que o ciúme por uma criação imaginária confina com o ridículo. Mas voltemos ao entendimento e à cumplicidade: eu acredito que um dos segredos mais importantes numa relação amorosa é ver no outro o nosso melhor amigo. É no outro que eu confio acima de tudo, é com ele que partilho o meu receios mais profundos, as minhas convicções mãos sérias e as minhas vontades mais frívolas. O problema é que a partilha daquilo que somos e que sentimos, a capacidade de despir a nossa alma é muito mais difícil do que despir o nosso corpo e tirar prazer dele.

A intimidade também se vive debaixo da pele e para que tal aconteça são necessários anos de convivência. Por vezes o nosso amor pelo outro é tão forte e tão temerário que julgamos chegar a esse lugar ao fim de alguns meses de relação. É verdade que vamos a caminho, mas até lá chegar espera-nos uma viagem mais longa do que imaginámos percorrer. E é durante esta viagem que se lançam as bases certas ou erradas para a construção de uma intimidade saudável.

No verão passado o psiquiatra José Gameiro publicou numa revista semanal um artigo sobre as novas formas de relacionamento entre casais no qual dizia que hoje as relações são como queijos émental, ou seja, com buracos; correntes de ar, zonas que escapam ao outro. A internet é a grande fábrica universal de relações do tipo émental com o Facebook, os chats e os sites que cada um visita sem dizer ao outro. Na mesma semana publiquei um post que dizia: a vida era muito mais fácil quando apple (maçãs) e blackberry (amoras) eram apenas frutos.

A união numa relação amorosa é fundamental. Cada um tem de conseguir partilhar com o outro o que sente. Não precisa de lhe fazer um relatório exaustivo dos seus dias, mas não deve reservar aquilo que lhe é mais importante e mais querido. A união faz a força, o amor constrói-se das duas. E o nosso amor deve ser o nosso melhor amigo para lançar as bases de uma intimidade verdadeira, séria, à prova de todas as balas e de todos os queijos émental."
 Ok é real... a Margarida Rebelo Pinto participa nas nossas conversas... só pode mesmo... 
M.O. 

A inocência perdida

Ao ler o post da M.R. fez me lembrar a minha própria adolescência...

Todos nós já passamos por aquela fase de rebeldia, de insatisfação com tudo (acho que ainda tou?!), de afronta, de irreverência, queremo-nos diferençar de toda a gente, a passagem de criança para adolescente...

Na verdade passei essa fase para ai desde dos 15 aos 17/18 anos...

A fase em que comecei a fumar, a fase em que de vez em quando fumava erva, fase em que inclusivamente fui apanhada na escola a fumar erva atrás do pavilhão, fase em que era respondona aos professores, em que conversar sobre a noitada do fim de semana era bem mais interessante que estar a ouvir fala de Fernando Pessoa...

Quem já não sentiu isso?

A fase em que os namoros, saidas à noite, intervalos na conversa a fumar eram tão mais importantes que estar atenta às aulas...

Mas mesmo nessa fase uma coisa sempre tive em mente... Há limites... e quando ultrapassamos esse limite pomos tudo em causa... E é essa consciência dos limites que me fez e ainda faz recuar em muitas situações... a percepção que os nossos actos tem consequências hoje e sempre é algo imprescindivel para teres noção até onde podes ir...

Sugeri à M.R. que mostrem um filme, video que o ponham em contacto com a realidade em que vivem as pessoas que tomam o caminho que o irmão do namorado dela está a tomar... Ás vezes choques de realidade são necessários e doem... Mas o que doi torna-nos mais fortes... É a nossa postura na vida que define o que a nossa vida será...

Afinal... a vida é o que fazemos dela certo?

M.O. 


O mundo está perdido

Ouvi tantas vezes ao longo da minha vida, e ontem dei por mim a dizer isto " o mundo está perdido" 

Há uns meses, no Verão, estava a passear com o meu namorado numa vila do Alentejo,  onde ele tem  casa. Estava a passear com ele na rua e aparece o irmão dele de  13 anos a fumar, completamente sozinho no meio da rua.
O meu namorado ficou perturbado, não sabia o que fazer, eu própria não sabia como lidar com a situação nem o que o aconselhar. Ele queria dizer aos pais, eu aconselhei o a não dizer para já, falar com ele calmamente. Decidiu contar à mãe e teve uma conversa com ele. 
Um miúdo de 13 anos a fumar na rua sozinho fez -me questionar algumas coisas...
Rebeldia?
Necessidade de aceitação? mas estava sozinho...
Já viciado?

Não conseguia entender...  embora ache que cada vez os jovens comecem a fumar mais cedo.

Bem... parece que na altura o meu namorado e a mãe falaram com o irmão e acharam que tinha ficado resolvido, tentaram levar para uma conversa educativa deram-lhe um castigo mas nada de especial. 
Há uma semana atrás aparece em casa " todo partido" porque supostamente andou a falar com a namorada de outro rapaz e ele bateu-lhe.
Ontem foi a mãe deles chamada à escola,  deixou-o à porta e ele não entrou na escola.
Então o que aconteceu?
O rapaz foi não sei a onde a pé pagar 20 euros que devia a uns rapazes  ( e por isso tinha levado porrada) a quem tinha comprado 4 gansas e fumado sozinho!

A sério que isto preocupa-me, se tivesse 16, 17,18 anos eu era a própria a dizer " está na idade de fazer estas asneiras" epa mas o miúdo tem 14 anos! 
Não faço ideia como se deve agir nestas situações, o que se deve dizer, eles la tiveram a falar com o miúdo, ele entregou o maço de tabaco ao irmão, mas acho sinceramente que não adianta nada. 
Isto não tem nada a ver com a educação, pode ajudar sem dúvida,  o envolvente social? anda num colégio privado caríssimo,  acho que este tipo de coisa nasce com a pessoa,  é intrínseco, a educação e o meio social pode influenciar, mas este é um típico caso que não tem nada a ver. É assustador, " o mundo está perdido".

M.R.

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

E se o coração não bater?

Todos nós sabemos que grande parte das pessoas que na nossa vida nos farão o coração bater não nos farão felizes na realidade... Mas e o contrário? Poderão fazer-nos felizes pessoas que não fazem o nosso coração bater?

Concordo com a M.R. nós mulheres quando gostamos mesmo esquecemos tudo, esquecemos o mundo, esquecemos tudo o que nos rodeia e muitas de nós esquecem-se delas próprias... O amor incondicional é uma caracteristica nossa, é algo que nasce conosco e que só nós, seres do sexo feminino, conseguimos alcançar...

Quando não gostamos somos racionais, imparciais, altivas, incorruptíveis... Quando gostamos somos umas atadas, nho nhos, que vemos o mundo cor de rosa, descobrimos em cada gesto uma forma do outro dizer que gosta de nós... Meninas wake up!

Lá por nos fazerem telefonemas inesperados (lol), nos mandarem msg, terem algum gesto de carinho, não quer dizer que estejam apaixonados por nós nem sequer que gostem de nós...
Aprendam a distinguir o que é um carinho (aceito que se pense isso de quem tem certo tipo de gestos) do que é gostar a sério...

É fácil despertar o interesse de um homem (uma boa conversa, par de pernas à mostra,

um andar confiante e uma carinha laroca são o bastante para olharem duas vezes para nós) o dificil é mantê-los interessados... E ai reside uma enorme diferença entre homens e mulheres...

Nós é o contrário... Não é fácil um homem chamar-nos à atenção mas é bastante mais fácil manter-nos interessada quando já estamos na sintonia deles... mesmo que sejam uns perfeitos idiotas mantemos esta estranha vontade de lutar por algo condenado à partida...

Será algo que é inerente à nossa condição de mulheres? Lutar sempre por algo?

É algo que não conseguimos de facto evitar?

Se o coração não mexe vale a pena tentar? Poderá essa pessoa fazer-nos feliz? E se um dia aparece quem mexa com o nosso coração? Vamos magoar essa pessoa?
Hoje em dia é de facto muito dificil apaixonarmo-nos por alguém... Seja porque vivemos muito centrados em nós próprios, seja porque o mundo hoje em dia é um salve-se quem puder e não é fácil confiar em alguém... Não é fácil entregar o nosso coração que em regra já sofreu algumas agruras e do qual temos alguma dificuldade em dispor...

É mais fácil proteger-nos, é mais fácil não gostar, é mais fácil não nos entregar-mos...

mais fácil... Mas será mais feliz? Seremos felizes assim? Sem o coração a bater descompassadamente?
M.O.


Quando gostamos de alguém...

Escrevi isto no meu blogue no dia 11 de julho de  2013, hoje em conversa com a M.O lembrei me dele: 


"Como ja referi aqui, alguns acontecimentos da minha vida levam -me a pensar em algumas questões, fazem com que duvidas passem a certezas e que nesta história da paixão é tudo muito claro. Ou há ou não há, sem mas, nem talvez, nem ses, nem porquês...
Passamos tanto tempo agarrado a ilusões, a relações que por muito que nós ate possamos ver que não vai dar em nada vamos acreditando, sabe-se lá porquê.... passamos a vida à espera, ou que ligue, ou daquela mensagem, ou que venha ter connosco, ou que olhe para nós de maneira diferente,  ou que faça alguma coisa por nós e  andamos nesta ansiedade e esperança que basta ele nos dar um festinha já nos enche o coração. No fundo somos umas fáceis que nos contentamos com o pouco e isto basta  para nos agarrar. Desculpas atrás de desculpas que vamos dando a nós próprias. Só vemos o que queremos e o que nos convém, por aquilo que nos diz o que não queremos ouvir passa-nos ao lado. O Pior cego é aquele que não quer ver.
Os homens são simples e quando o alguma rapariga lhe toca o coração são tão tótós como nós, quem não sabe isto? fazem tudo por quem gostam, tentam agradar, querem estar com essa pessoa, querem dizer ao mundo que a amam, sentem o coração vibrar e isso não se esconde em nenhuma desculpa.
Se fosse fácil o coração se apaixonar não havia tanta gente sozinha, era simples. Não é fácil haver aquela ligação de nos cortar a respiração mais difícil ainda é haver de ambas as partes. E se não acontece no nos primeiros tempos não é ao fim de 3 ou 4 meses que começa a haver, não milagres, ninguém acorda e pensa estou tão apaixonado.... a paixão é avassaladora é irracional, não controlamos .... o amor é outra história e esse sim já vem com muitas questões pelo meio.
Depois vem a racionalidade que pode concordar ou não com o coração e o peso dela para cada pessoa também não é igual e isso pode mudar o rumo das histórias.
A  base de todos os grandes amores, na minha modesta opinião, é o coração vibrar, vibrar em sintonia, sem desculpas."




M.R

Ser HIpocondriaco é...

Mando  uma msg ao meu namorado a dizer " estou cheia de dor de cabeça"
Resposta: Sintomas e descrição da Malária

M.R

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Stranger in the night

Este fim de semana foi assim algo diferente lol

Comecemos do inicio...

Fomos sair à noite no Sábado (como habitualmente fazemos) para uma festa supostamente das melhores com entrada em guest list, muita música electrónica (boa), bom ambiente...
A entrada da festa iniciava-se às 22 horas pelo que religiosamente estavámos à porta era 21.45h... Pois que às 23.30h continuavamos à porta... quase duas horas depois entraram cerca de 10 pessoas... a impaciência, mau feitio e tolerância zero chegam... a vontade de entrar é nula nesse momento... Quem estava à porta foi extremamente rude e altivo para com quem estava à espera pacientemente para entrar...
Posto isto resolvemos ir embora e decidimos que eram eles que não mereciam a nossa presença...

Ja que em Lisboa estávamos achamos por bem que esta situação caricata não iria estragar a nossa noite e resolvemos que nos iriamos divertir a todo o custo...
Pois assim fizemos: primeiro um bar de música brasileira (sim música brasileira) no Bairro Alto... Sim  o ambiente não era o melhor, nem o mais sofisticado do mundo mas aguentava-se bem porque ao som de Natiruts, Seu Jorge e afins aguenta-se muitaaaaa coisa... óbvio que morangoscas de meio litro a 5 euros também ajudaram imenso... Dançamos, cantámos, falámos, divertimo-nos imenso...

Depois de quase um litro de morangosca estava que nem podia pelo que resolvemos esticar a noite e prolongar a saída... e ai fomos em direcção a uma das discotecas da capital...

E foi nessa discoteca que algo aconteceu... No meio de muita dança, bebida, cantoria, shots eis que surge um rapaz que começa a dançar comigo, eu toldada pelo álcool deixei-me ir afinal que mal tem uma dança?
E assim foi... No meio de tanta dança, rodopio, começo a olhar bem para ele e reparo: "possa o gajo é muita giro!"... (descrição sumária: alto mas não muito, cabelo castanho claro, olhos verdes, um bocadinho de barba, mega estilo... em suma giro todos os dias) Começamos a falar percebo que é estrangeiro e começamos a dialogar em inglês (bendita língua universal), percebo que tem 23 anos, vem da suiça, tem uma banda na qual é vocalista, está de férias em Portugal durante 3 dias, e que viajar é um hobbie...
A dança continua, o álcool também, e no meio daquilo tudo, hipnotizada pela beleza dele deixo-me ir e acabamos aos beijos e amassos (E que beijos e amassos)... No entanto passei metade do tempo a pensar se aparecesse alguém que me conhecesse e me visse ali aos beijos com um desconhecido?






A verdade é que nunca tal me tinha acontecido... Nunca me interessei por ninguém assim à primeira vista, e muito menos envolver-me com alguém que não conhecia... Foi uma situação nova para mim confesso...

Se valeu a pena? Claro que sim... Não passaram de uns beijos, amassos e danças malucas mas valeu bem a pena... soube-me bem e esqueci-me da existência do Como Assim... Quer dizer acho que por um segundo me passou na cabeça: " e se o Como Assim me visse agora?" Acho que me dava um treco no mínimo lol mas não tava nem nunca irá sonhar com isto... e mesmo que sonhe fuck him...

Acho que foi um passo em frente na minha vida de solteira lol Uma experiência nova, uma aventura que não irei esquecer, nem da aventura nem daqueles olhos verdes a olharem para mim, nem da voz dele a cantar ao meu ouvido, nem dos super beijos que me deu...

Nunca mais o verei na vida naturalmente mas esquecer acho que não me esqueço mais...

Aiiiiiiiiiiiiiiiiiii (mega mega mega suspiro) 
M.O.


  

Mundo Real - Angola

Faz 2 meses que cheguei aqui a Angola, este fds pela primeira vez conheci Angola, não aquela da luxúria e da corrupção , nem aquela com praias paradisíacas... estive no meio do povo, no meio da realidade angolana, no meio de um cheiro imundo, de lixo e esgotos, de insegurança, ... Hoje senti medo e fiquei aterrorizada com a realidade deste pais! Vi crianças no meio da lixeiras a brincar com o lixo, no meio dos animais! Mais uma aventura, que acabou por correr bem, mais uma experiência de vida que vivemos, mais uma a juntar a tantas outras... Que me tem feito crescer tanto todos os dias! 

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Trabalho Vs Emocional

Tava a ler o post da T.P. e lembrei-me de quando comecei a trabalhar, sitio novo, pessoas novas...

Sem dúvida que o início custa sempre, é uma fase de adaptação mas acho que é a fase onde a motivação está ao mais alto nível... No início queremos mostrar a todo o custo o que valemos (normalmente bem mais do o que nos pagam), mostrar a nossa competência, eficácia, empenho e valor...

Acho que no fundo é essa a melhor fase... Depois à medida que o tempo passa e a nossa competência já não é tão reconhecida vamo-nos encostando, vamos ficando mais moles, vamos ficando menos ferozes...

Sou uma pessoa bastante emocional na minha vida privada mas zero a nível profissional...

Profissionalmente sou de uma racionalidade assustadora... Já na faculdade o era... Quando era para estudar era mesmo a sério mas se me sentia demasiado confiante normalmente dava m$rda...

Prefiro sempre jogar pelo seguro e não levantar as minhas expectativas em relação a nada... faço o que está ao meu alcance e a nada mais serei obrigada...

Sou advogada (ainda estagiária) e sei que no fundo gosto do que faço, gosto de ajudar os outros, gosto de resolver problemas (dá um certo poder lol), gosto de ser prestável (qb), mas não vou contra aquilo que penso, e se o Cliente não tem razão serei a primeira a dizê-lo e a demonstrar-lhe porque não tem... As coisas são como são e um advogado (lamento) não está cá para nos dar em razão e defender em tudo... Há de facto coisas que não são defensáveis, que não acreditamos e que para nós não faz sentido...

Alguém que um dia me "leu" a mente disse-me: "Está na profissão certa... Mas não está nela por causa do dinheiro... Até pode pensar que é mas não é essa a sua verdadeira motivação". E sim acho que ela tinha razão... Fui para esta profissão por causa do dinheiro (pobre universitária a achar que ia encher os bolsos com esta profissão lol que ilusão) mas não é isso que me faz querer levantar todos os dias e trabalhar...

Essa mesma pessoa definiu-me a nivel de trabalho com três simples palavras:
  • Guerreira;
  • Justiça;
  • Gratidão. 
Três palavras que me difinem profissionalmente... Justiça não poderia fazer mais sentido não fosse a advocacia a minha profissão, guerreira porque sim quando acho que tenho razão vou até às ultimas instâncias, gratidão porque reconheço nos outros o bem que me fazem...

O facto de não defender aquilo que para mim é indefensável poderá vir a trazer-me alguns problemas profissionalmente, a não aceitar certos Clientes, assuntos por não achar que tenham defesa possível...
O que vem de encontro a que o dinheiro obviamente é extremamente importante mas não é ele que realmente me motiva profissionalmente... O facto de não ser materialista faz com que outros valores se sobreponham a uma conta recheada de dinheiro e a uma consciência recheada de culpa... 

Sou batalhadora, ainda estou no inicio da labuta, sei precisamente o que valho profissionalmente, sou segura de mim e vou até onde for preciso para perseguir os meus objectivos... Espero que a sorte me ajude e esteja ao meu lado...
Quem dera ser assim no amor...
M.O.